Por: Jéssica Santana

Se você gostou de La Casa de Papel então você tem que assistir Vis a Vis, uma série espanhola que é ambientada em uma prisão feminina e tem de tudo, drama, humor, romance… é uma série viciante. Cada episódio termina de um jeito que você PRECISA ver o próximo e apesar de serem episódios longos, cada um dura em torno de uma hora, a gente não percebe que é tudo isso. Além de Alex Piña, produtor de La Casa de Papel, Vis a Vis ainda tem em seu elenco Najwa Nimri – a odiada inspetora Alicia – e Alba Flores – Nairóbe rainha.

A série se desenrola a partir da chegada de Macarena (Maggie Civantos), uma contadora que se envolveu com seu chefe, um homem casado, foi enganada por ele e acabou cometendo crimes fiscais. Na cadeia Macarena logo é apresentada a Zlema Zahir (Najwa Nimri) a “chefona” da prisão e sua amiga/capanga Saray (Alba Flores). Por ser ingênua Macarena se torna alvo fácil na prisão e acaba se envolvendo em situações que deixam ela mais enrolada ainda e tornam a saída dela da cadeia ainda mais complicada. 

Dentro da cadeia Macarena se envolve com “Cachinhos” (Berta Vázquez) e acaba despertando o ciúmes de Saray que era namorada de “Cachinhos” antes dela se apaixonar por Macarena; se você está pensando: “é só uma imitação de Orenge is the new black” saiba que você está totalmente errado. Em Vis a Vis a comédia não é o carro chefe da série, os problemas que o dia a dia da prisão ocasiona está sempre presente pra que a gente não esqueça que se trata de um drama, claro que tem momentos de alívio cômico protagonizado na maioria das vezes por Saray, mas a violência presente na série é muito mais exposta. 

Vis a Vis trata de temas como drogas, homossexualismo, violência e tantos outros de uma perspectiva totalmente diferente o que estamos acostumados a ver. A série tem 4 temporadas, apenas 2 está disponível na Netflix, mas calma a Netflix já divulgou a data de estreia da terceira temporada, dia 30 de agosto de 2019 e eu não vejo a hora de saber o destino e Macarena, Zulema, Saray, “Cachinhos” e das presas de Cruz del Sur.