The Chair é a nova série da Netflix, criada por Amanda Peet e Annie Julia Wyman. É Protagonizada por Sandra Oh, que também assina a produção executiva ao lado de Amanda, David Benioff e D. B. Weiss. Isso mesmo os roteiristas de GOT estão por aqui.

A série é uma dramédia leve e simpática que conta a história da Dra. Ji-Yoon, que se torna a primeira mulher não-branca a assumir o cargo de diretora do departamento de inglês de uma renomada universidade americana. Ao mesmo tempo ela precisa lidar com os desafios dentro do sistema universitário, com a burocracia da sua nova função, além de tentar resolver seus problemas pessoais e familiares.

A narrativa de The Chair te prende desde o primeiro episódio, com um texto dinâmico, despretensioso e muito bem escrito. Trazendo uma protagonista carismática (tarefa fácil pra Sandra Oh), sua personagem é sagaz, inteligente, bem resolvida e enfrenta tudo que surge pelo caminho, com uma pitada de humor excelente. As situações que vão surgindo na trama são bem atuais, tendo como pano de fundo o sistema educacional e as diversas dificuldades em sua atmosfera. Vida de professor não é fácil e aqui isso é acentuado em muitos conflitos.

Ji ainda lida com a sua família e outras questões, numa nova faceta em tela para Sandra, que não estamos muito acostumados a vê-la, ela é mãe de Ju Ju, uma criança mexicana cheia de personalidade e sem papas na língua (as melhores tiradas são dela!) Parece até uma versão mirim da personalidade de Cristina Yang de Grey’s Anatomy. Esse lado sentimental e a busca de Ji para se conectar com Ju Ju é um dos pontos chave dessa trama. Outro personagem que rouba a cena é Bill (Jay Duplass), um professor popular que passa por problemas pessoais e vive em um momento autodestrutivo, e Ji sempre está ali pra ajudar e tentar resolver os BO que ele causa. A relação dos dois vai sendo exposta para o público aos poucos. Enquanto isso, Bill se aproxima de Ju Ju e a conexão deles é excelente, sendo um outro ponto chave na série, eles dão o tom de várias cenas fofas e divertidas.

The Chair dialoga com temáticas importantes, como: Minorias sociais, supremacia branca nas universidades, cancelamentos, destacando o tratamento da mulher no campo acadêmico e a importância da equidade de direitos, reconhecimento e valor da sua ascensão, além de pontuar o papel dos idosos, a experiência da velhice no campo do saber e o etarismo.

A série traz personagens coreanos e vivenciamos com eles um pouco da sua cultura e do seu idioma. Sim! Aqui não é aquela série com asiáticos que falam o tempo todo em inglês. Inclusive isso é pauta e motivo de piada em diversos momentos. A produção preza pelas raízes dos personagens, como também vemos Ji estimular e apresentar a cultura mexicana para Ji Ji, a fim de mantê-la inserida e conectada com sua etnia e construir sua identificação e base cultural. The Chair possui 6 episódios, com duração entre 26-32 min, ótima para uma maratona.