The Alienist: Angel of Darkness estreou em julho nos EUA pela TNT e chegou essa quinta-feira (22) na Netflix. O segundo ano da série é baseado no segundo livro da série Kreizler, sequência de The Alienist de Caleb Carr, lançado em 1997.

A série se passa um ano após os acontecimentos da primeira temporada e traz um novo serial killer e uma atmosfera mais pesada e assustadora, flertando com o suspense e o terror de uma forma bem mais elaborada do que foi o seu primeiro ano.

O trio de protagonistas ganhou um desenvolvimento interessante, destaque para Sara Howard (Dakota Fanning) que ganha mais tempo de tela e todo o seu potencial é aproveitado. Ela agora é detetive particular, se tornando a pioneira no ramo com o seu próprio escritório e emprega mulheres com as mesmas inspirações. A série retrata alguns acontecimentos históricos, mesmo que de forma rápida, como é o caso do movimento sufragista. Abordando o papel da mulher na sociedade e a luta feminista.

Após o desaparecimento da bebê de um casal representante do Governo Espanhol em Nova York, Sara é chamada para investigar o caso, ela conta com a ajuda de Dr. Lazlo Kreizler (Daniel Brühl) e John Moore (Luke Evans), ao ponto que eles vão se envolvendo no caso, uma rede de corrupção, um hospital bizarro e um novo assassino chegam ao radar de Sara, envolvendo todos num emaranhado de acontecimentos nebulosos e obscuros, que vai se tornando instigante de acompanhar.

Os eventos beiram o sinistro, trazendo um ar apavorante e perturbador. Eles conseguem construir muito bem o thriller psicológico com uma esfera de perigo iminente a todo instante. Os momentos de tensão são bem elaborados. E as atuações dessa temporada estão excelentes, os atores estão mais confortáveis em seus papéis e conseguem envolver o público.

As personagens femininas dessa temporada são excepcionais. O ponto alto aqui são essas mulheres, de atitudes e posturas diferentes, mas que ao mesmo tempo possuem uma coisa em comum, todas procuram seguir suas vontades e ditar suas regras. Vale destacar, além da Sara (Dakota Fanning), a jornalista Joana Crawford (Brittany Marie) e a enfermeira Libby Hatch (Rosy McEwen) que é dona das atuações mais brilhantes dessa temporada.

A ambientação da série está sensacional, é notável o cuidado com cada detalhe para expor como pano de fundo uma Nova York de 1897. Assim como, o figurino, em especial o de Sara. A temporada tem um ritmo muito bom e a evolução dos personagens e suas relações foram muito bem exploradas, fazendo o público conhecer suas novas facetas em novas situações. Ao mesmo tempo que passa uma mensagem de empoderamento e libertação da mulher das convenções de uma sociedade patriarcal e machista.

A segunda temporada tem 8 episódios, o que pareceu não ser um ponto favorável nesse novo ano, pois acabou deixando algumas lacunas em aberto, apesar do fim comovente e surpreendente. Fica evidente que se fosse 10 episódios como a primeira temporada teria tempo suficiente para explorar certas nuances que acabaram caindo no campo do subjetivo, mas que não afetaram a qualidade da série.

The Alienist: Angel of Darkness é uma super produção que merece toda a sua atenção. Ótima opção para quem ama uma série de época com investigação e suspense. Uma terceira temporada não foi confirmada até o momento.