Produção mexicana mais recente da Netflix, criada por José Ignácio Valenzuela. É Dirigida por David Ruiz e Bernardo da Rosa. A série tem em seu elenco várias caras conhecidas da Televisa (emissora mexicana).

A primeira temporada foi um sucesso e se converteu na melhor estreia de fala não-inglesa na história da Netflix nos Estados Unidos. O enredo segue a linha tradicional do famoso clichê “Quem matou” e a primeira temporada funciona como uma apresentação, tanto do dia fatídico da vida de Sara que ocasionaria a sua morte, quanto apresenta os personagens da trama. O roteiro consegue ser bem sucedido nesse quesito e mantêm a curiosidade do espectador, mas é cheio de altos e baixos.

Na segunda temporada o mesmo problema continua, a série não segue uma linha de raciocínio, com uma história cada vez mais mirabolante e sem pé nem cabeça, além de deixar pontas soltas e não conseguir amarrar as mais simples. Os acontecimentos vão surgindo de forma picotada e não são apresentados numa estrutura linear. A montagem tenta te confundir o tempo inteiro, para esconder um roteiro simples, mas cheios de artimanhas para prender atenção do espectador, te fazendo acreditar que se você cochilar você vai perder algum detalhe, e realmente pode perder, pois a cada episódio um novo mistério é lançado. Esses mistérios surgem a partir dos conflitos e ações dos personagens, que nessa segunda temporada ganha um pouco mais de profundidade, descobrimos sobre Sara e seus segredos. Além de destacar outros personagens, mas ao mesmo tempo não se compromete em aprofundar as questões abordadas e fica tudo muito jogado.

A importância de descobrir a identidade do assassino vai se perdendo, tudo vai ficando confuso e eles preferem conversar em círculos com o espectador te fazendo acreditar em um protagonista que tenta ser um vingador, mas sem carisma, tanto quanto os seus diálogos. Os personagens vão mudando para caber nos plots infinitos que vão acontecendo. Uma das coisas boas da série, são as sequências de ação, principalmente na segunda temporada. Assim como, a quantidade de episódios, que foi reduzida para 8 na 2ª temp, enquanto que a 1ª teve 10.

Quem Matou Sara, tem algo que te prende, pode ser definida como um novelão, tinha tudo para ser um grande suspense, porém tropeça nas falhas de sua trama preguiçosa. Uma terceira temporada já está confirmada.