Dez anos após a criação do Universo Ultimate, a Marvel sentiu a necessidade de “refrescar” a cronologia da linha. E aí veio uma das atitudes mais corajosas e impensadas pelos fãs: matar Peter Parker! E substituí-lo no Homem-Aranha (um dos principais títulos do selo) por outra pessoa.

Em agosto de 2011 estreava Miles Morales em Ultimate Fallout #4. Um jovem do Brooklyn, de ascendência latina que ganhara seus poderes de forma muito parecida como Peter recebeu os dele. Criação de Brian Michael Bendis (autor) e Sara Pichelli (desenhista), assim como o Peter daquele universo, Morales é um jovem adolescente lidando com seus problemas juvenis, catástrofes e supercriminosos. Outro grande sucesso de Bendis na linha Ultimate! Embora houvesse controvérsia em relação a cor e a origem do personagem, coisas do mundo odioso no qual alguns “nerds” habitam, até Stan Lee avalizou e declarou-se fã do mesmo.

Em 2015, o Universo (e o selo) Ultimate acabou, no evento conhecido como Guerras Secretas (não a clássica, mas a escrita por Jonathan Hickman). Miles e todo o seu núcleo de personagens passaram a existir na Terra 616 (a principal da Casa das ideias). Morales continuou com sua popularidade em alta: foi integrante dos Vingadores, um dos principais personagens de Guerra Civil II e um dos co-fundadores dos Campeões, uma das equpes juvenis da Marvel.

Com uma animação vencedora de Oscar em sua categoria e um jogo que já vendeu mais que The last of us 2 e Ghost of Tsushima (fonte: NPD), Miles Morales é um dos Homens-Aranha mais populares do universo nerd. Estabeleceu-se pela qualidade de suas histórias, mais divertidas que “icônicas”. E aponta para esse mundo que queremos ver cada vez mais representado: de igualdade, tolerância e diversidade. Um mundo que faz parte do DNA da Marvel desde sempre, que nunca foi modismo na editora, e que deveria fazer parte daqueles que se dizem seus fãs também!