Uma história sobre videogame em uma cidade da Espanha, cheia de ação e suspense. Basicamente, esse é um pequeno resumo do enredo do dorama coreano Memories of Alhambra. De 2018, escrito por Song Jae-jun, o K-drama quebra as barreiras territoriais da Coreia do Sul se tornando um dorama diferente e digno de historia de filme americano. 

Yoo Jin-Woo (Hyun-Bin) é o CEO de uma empresa de investimentos. Ele tem bom senso no trabalho, um forte espírito aventureiro e uma grande vontade de vencer. Yoo Jin-Woo está passando por um momento difícil emocionalmente devido a coisas como a traição de seus amigos. Ele visita Granada na Espanha após receber uma estranha ligação de um jovem oferecendo seu jogo de Realidade Aumentada para ele investir. Em Granada, Jin-Woo se hospeda em um antigo albergue administrado por Jung Hee-Joo (Park Shin-Hye), uma mulher coreana que mora há muitos anos na cidade Espanhola. Lá, Yoo Jin-Woo se envolve em um estranho caso, pois, depois que chega em Granada, descobre que o jovem com quem falou desapareceu.

O jogo de Realidade Aumentada ou VR criado pelo jovem é uma coisa tão impressionante que você passa a desconfiar se o que aconteceu foi real ou foi só no jogo mesmo. É um jogo onde é preciso lutar contra guerreiros, arqueiros, ninjas, soldados da época medieval para passar de fase, nada muito fora do comum. Mas a parte mais incrível é que o jogo é jogado no meio da rua, em parques, praças públicas, ele usa o mapa local da cidade de Granada para esconder armas e direcionar o jogador ate a área de uma batalha, por exemplo.

O inimaginável é que como você joga no meio da rua, o ambiente que está no jogo, também existe na vida real e quando uma parte desse ambiente é atingida, por exemplo, digamos hipoteticamente que um carro é atingido por uma pedra durante o combate, parece que o carro realmente foi quebrado, mas quando você sai do jogo ele está inteiro, como se nada tivesse acontecido. Vale ressaltar que o único equipamento do jogo é uma espécie de lente de contato. Para quem vê de fora, o jogador acaba parecendo um doido lutando contra o nada num meio de uma praça cheia de gente, isso é hilário de ver no dorama.

Cena de Memories of Alhambra, na esquerda Cha Hyun Suk (Park Hoon), o maior inimigo do protagonista, na direira Yoo Jin-Woo (Hyun-Bin).

O dorama é cheio de efeitos especiais dignos de cinema, percebendo-se o tamanho do investimento que a Coreia faz em apenas uma série. O jogo tem os visuais gráficos dos melhores e mais modernos jogos da atualidade e até mais, parecendo muito real. Isso tudo, em uma paisagem belíssima da Espanha, com uma fotográfica incrível. Imagine jogar em um pôr do sol com vista para toda a cidade, tem muitas imagens lindas.  

Mas, logo no primeiro episódio, o dorama te deixa sem entender nada, confuso. O que o leva a criar muitas teorias para os fatos sem explicação. Ele vai entregando aos poucos tudo que acontece na história. Porém, quando você acha que está começando a entender, acontece uma coisa que te deixa boiando na maionese, o que te leva a criar mais teorias ainda. O final é muito enigmático, aberto para vários entendimentos diferentes e com gostinho de quero a segunda temporada.

O ponto mais fraco de Memories of Alhambra é o romance que não se destaca em meio ao enredo do jogo. Assim, ele acabou ficando para segundo plano e sem muita importância, principalmente pelo fato da falta de química dos personagens principais e também pela duvidosa atuação da famosa Park Shin-Hye, praticamente uma Marina Ruy Barbora da Coreia, que atua como atriz desde muito pequena. Muitas dorameiras internacionais não a consideram uma boa atriz e os coreanos a idolatram.

Memories of Alhambra é um daqueles doramas que fogem do senso comum de histórias, a Coreia já produziu alguns enredos diferentes e que se passa fora do Coreia, com cenas realmente gravadas na cidade de Granada, em Barcelona, Girola, Budapeste, Hungria e Eslovênia. Memories of Alhambra está disponível na Netflix e tem 16 episódios.

Confira o trailer: