Por Pedro Conrado

A animação brasileira Irmão do Jorel narra a vida de um garoto ofuscado pela popularidade do seu irmão mais velho, o Jorel. Sendo assim, ele sempre é chamado de irmão do Jorel. Vencedora do Prêmio Quirino 2019 de Melhor Série Ibero-Americana, essa animação é muito mais do que parece ser.

Claro, Irmão do Jorel é uma (excelente) animação voltada para o público infantil e por isso conta com uma linguagem apropriada para a faixa etária, situações fantasiosas e conflitos que o público-alvo possa se identificar. Porém, no decorrer de cada episódio, podemos notar algumas mensagens “subliminares”.

Irmão do Jorel é idealizado por Juliano Enrico e conta com a participação de Daniel Furlan (TV Quase), dois indivíduos com ideias voltadas para o lado esquerdo da força, por isso possui episódios com críticas à ditadura militar, enaltecendo a liberdade de expressão, tem a Vovó Juju com uma Foice e Martelo estampado na sua roupinha e vez outra trabalha questões envolvendo gênero e feminismo. Isso tudo aparece de forma sútil no desenho, porém com um pouco de atenção, senso crítico e interpretação de texto é possível perceber tais elementos.

Quando uma criança assiste Irmão do Jorel, ela dificilmente vai perceber isso, claro. Porém, a série conta com uma boa parcela de público adulto e esses, a meu ver, precisam perceber os elementos críticos da série para poder aproveitá-la na sua completude. Os episódios carregam ideias revolucionárias e/ou progressistas. É lindo de ver Lara, Vovó Juju, Irmão do Jorel, Seu Edson criticando um monte de problemas sociais existentes na nossa sociedade. Beber dessa fonte para repensar as suas atitudes e pensamentos é uma outra forma de aproveitar o desenho. E isso é um ponto extremamente positivo na série, que além de entreter, carrega uma grande bagagem intelectual.

Bom, é isso. E para quem nunca assistiu Irmão do Jorel, a animação é exibida oficialmente na Carton Network, além de ter episódios no canal oficial do Youtube e na Netflix. Recomendo demais o desenho, que é excelente, super divertido e muito original. Além disso, é nacional.

COMA ABACATE E ABAIXO A REPRESSÃO.