Por que acidentes e desastres nos intrigam tanto? Eu me fiz esta pergunta, como pessoa curiosa que sou, e como já comentei aqui, adoro um fato histórico. E com a série Chernobyl, da HBO, não foi diferente.

Efeitos da radiação custam a vida de milhares de pessoas até hoje/ Reprodução: Nueva Mujer
Efeitos da radiação custam a vida de milhares de pessoas até hoje/ Reprodução: Nueva Mujer

Passo a passo de um desastre

Condensada em cinco episódios capítulos, a série prendeu minha atenção logo nos 10 minutos do 1º episódio – já havia muita açãorolando! Resultado: vi 4 dos 5 episódios em um dia!!

O acidente

A pessoa que vos escreve não é física, química, bióloga ou engenheira,soy de humanas, pero tentarei explicar o que entendi: o acidente aconteceu na madrugada do dia de 26 de abril de 1986, quando o reator 4 da Usina de Chernobyl, na antiga União Soviética, explodiu (!!!!) após um teste feito pela equipe de plantão falhar!

Basicamente, o núcleo do reator 4 foi resfriado e em seguida reaquecido, porém, nesta retomada, ele acabou explodindo, deixando-o exposto e liberando todas as substâncias oriundas das reações químicas!

Acidente de proporções catastróficas mudou os rumos da Guerra Fria/ Reprodução: Aficionados
Acidente de proporções catastróficas mudou os rumos da Guerra Fria/ Reprodução: Aficionados

Uma viagem para a União Soviética

Prepare-se para ser teletransportado para a década de 1980 e para uma das potências mundiais da época, da União Soviética (URSS). O clima de Guerra Fria  está presente o tempo todo. Existe uma tensão no ar e a palavra “americano” é quase amaldiçoada.

Liquidadores ficaram responsáveis pela "limpeza" dos arredores de Chernobyl/ Reprodução: El Comércio Peru
Liquidadores ficaram responsáveis pela “limpeza” dos arredores de Chernobyl/ Reprodução: El Comércio Peru

Política em destaque

Provavelmente você já escutou falar de Chernobyl por causa dos efeitos radioativos dos químicos na saúde e ambiente. Na série homônima o tempo todo a tensão política está no ar.

Afinal, o plano era não “contar” para a população o que havia acontecido, assim como para a comunidade internacional. Essa disputa angustiante pelo primeiro lugar de tudo custou a saúde e vida de milhares de pessoas, além de gerar zonas de exclusão na Ucrância (atual local do acidente) e países vizinhos. Os efeitos de 33 anos atrás são sentidos até hoje!

Então, que tal mergulhar no clima sombrio da União Soviética e no contexto do maior desastre nuclear já registrado? Uma aula de história, política, ciência e ecologia que rendem até hoje 

Gostou? Tem algum tema que ache legal trazer aqui? Me fala .

Este post é uma republicação em parceria com o blog
https://julianaisola.wordpress.com . Acesse e conheça mais!