A vastidão da Noite é uma daquelas produções que ninguém estava esperando, mas que bom que foi feita.

Recentemente chegou ao catálogo dos originais da Amazon Prime Video uma ficção científica de baixo orçamento, dirigida por um diretor estreante, mas que para a surpresa de todos se mostrou uma das grandes surpresas do ano.

Original Prime Vídeo, A Vastidão da Noite é dirigido, roteirizado e editado por Andrew Patterson . O filme se passa nos anos 50, no auge da guerra fria e da corrida espacial entre os Estados Unidos e união Soviética, o rádio está em ascensão e é a forma de comunicação mais popular da época. Em uma pequena cidade do Novo México, dois jovens apaixonados por rádio descobrem uma frequência estranha com ruídos misteriosos e partem para investigar do que se trata tudo aquilo em uma noite cheia de mistérios a serem resolvidos.

Pois bem, esses dias resolvi assistir um filme e zapeando pelo catálogo da Amazon Prime parei em The Vast of Night. Resolvi dar uma chance ao filme que vem sendo tão elogiado pelos críticos, uma sinopse simples, 1h30 apenas de filme, por que não? Parei de assistir nos primeiros 20 minutos de filme! Escuro demais, um diálogo interminável, não consegui entender direito porque não estava prestando total atenção, desisti, ao menos naquele momento.

Mas estava disposto a terminar o filme, 1h30 apenas, que filme tem essa duração hoje em dia? Na hora de dormir, apaguei as luzes, coloquei o melhor fone de ouvido e parei de verdade para assistir. Tudo mudou!

É um filme que precisa de imersão. Neste filme, o áudio FAZ TODA a diferença, na verdade o diretor eleva o áudio a um patamar, talvez, mais importante que o vídeo. O tom extremamente escuro nos reforça que devemos ficar mais atentos ao que estamos ouvindo, já que não conseguimos enxergar com exatidão muita coisa. É como se estivéssemos ouvindo a dramatização de um conto através de uma rádionovela ou podcast dramatizado

O trabalho de Patterson é impressionante, a narrativa criada por ele é extremamente simples, mas sua condução da história é extremamente engenhosa. Ele potencializa os recursos técnicos ao máximo, driblando o baixo orçamento com destreza e criatividade. O uso das cores lavadas e da TV que nos remete a série Twilight Zone ajuda a criar a atmosfera de fantasia pedida pelo enredo e a opção por takes extensos e linhas de textos longas, valorizam o roteiro e as atuações.

As atuações da dupla vivida por Jake Horowitz e Sierra McCormick são impressionantes e os dois mostram uma química perfeita em tela. Os primeiros minutos, aqueles que eu havia desistido, com as conversas entre os dois estabelece bem a dinâmica dos personagens e nos faz comprar a reação de cada um a medida que vão desvendando os mistérios.

Aliás, os diálogos são as partes mais importantes do filme. Do meio para o final o ritmo de tudo se intensifica e a forma como as urgências são criadas é sempre muito natural seguindo uma escalada de tensão até o clímax da história.

A vastidão da noite é um filme contido, simples, atmosférico e engenhoso na forma de contar a sua história, é como um grande episódio de uma série que nos deixa tensos a medida que a narrativa avança. O longa dá voz a discussões pertinentes como preconceitos, consumo e manipulação da grande mídia, vale a pena assisti-lo com atenção e cuidado.